sexta-feira, 18 de abril de 2014

17:48

.


A gente já devia iniciar o dia com duas palavras em mente: PERDÃO E OBRIGADA. Porque não é assim que acontece?... A gente estala os olhos e , não raro, pensa _droga!, já tá na hora. Antes de agradecer já de arranque precisa se desculpar. Então, a prece precisaria ser mais ou menos assim;
_ Perdão Pai-Mãe de todos nós, porque mesmo sabendo que tenho que agradecer as dádivas, cedo a tentação tantas vezes que, às vezes, vira até costume. Perdoe-me por repetir e repetir as ingratidões que se repetem e não evoluem, de geração a geração. Obrigada por me dar a chance de me desculpar, sempre.

A gente magoa muita gente por aí. Prefiro pensar que nunca é por mal, embora saiba que a semente do sarcasmo, do humor barato, da inconsequência ronda com frequência. O fato é que, intencional ou não, a gente magoa mesmo sem querer magoar. Nem sempre é possível dizer um sim. Nem sempre é indicado poupar um não. Nem sempre a gente quer. Nem sempre a gente pode. Nem sempre é recomendável. Nem sempre. Nem sempre.

É quando, depois da prece matinal que você se dá conta de que precisará tanto ou mais, pedir desculpas, e agradecer a chance real que existe de ser perdoado, da compreensão acontecer, do amor vencer pelas mãos de quem magoa, pelas mãos de que perdoa, por esta natureza extraordinária que nos brinda com capacidades que podem nos fazer ir além da teima, da birra, da criancice, do egoísmo.

Frequentemente, pergunto-me: seria possível passar um dia todo sem magoar algum coração? Um ser iluminado conseguiria? Porque, às vezes, um gesto imperfeito, simplesmente se faz necessário: uma mentira, um desvio, um atraso, uma negativa, um humor péssimo, uma dor latejante qualquer, VARIÁVEIS nos expõem à tratativas intermináveis entre o uso da palavra perdão, e da palavra obrigada.

Como tudo na vida é exponencial, acaba que quem magoa a outro, acaba magoando a si próprio também, como da mesma feita, quem pede perdão, deve perdoar-se sobretudo. É a multiplicação dos gestos intercalados entre o sim e o não. Entre a noite e o dia, entre o sol e a lua, entre oque é bom, oque deverá tornar-se bom.

E a Terra no meio disso. E a gente no meio disso. E as pessoas à quem tanto devemos agradecer. E as tantas à quem devemos pedir perdão. E o nosso corpo. E a nossa alma. E o nosso próximo capítulo, ali, nas mãos do nosso mais próximo, a quem vamos alegrar, e entristecer, para ao final de mais um dia, deitar, e fazer uma prece onde novamente o pedido de perdão abre o uso do verbo, seguido pelos tantos agradecimentos, e no fim, que deve ser no meio e no começo e para todos os lados possíveis, as emanações amorosas, porque nessa ciranda de erro e acerto, só mesmo o Amor, pra acertar.

FELIZ PÁSCOA!



*

sexta-feira, 28 de março de 2014

18:40

.


Minha viagem é ao centro da terra, e chegando lá descubro que o centro da terra sou eu. Não é estranho viajar pra tão longe para descobrir que estava tão perto?

_ não, não!, não é privilégio meu. Se você seguir viagem até o centro da terra, descobrirá, igualmente, que o centro da terra é você.

E assim, sucessivamente, com cada mente que produz. Lá, no centro da terra, descobre-se que podemos criar. Como Deus? ... Não!, nem tanto. Podados fomos quando expulsos do Paraíso, restou-nos somente a ponta da pinha calcificada pelas materialidades que nos distraem.

Mas ainda assim, meio capengas, podemos criar. E oque criamos, conecta-se à todas as outras criações, e assim, do centro da terra, do nosso centro, unimo-nos em uma criação a que chamamos mundo.

Tá bom pra você?
Pra mim tá meia boca. Dá pra melhorar um BOMBOCADO, por isso minha viagem é ao centro da terra, onde descubro que eu sou o centro da terra. Se eu melhorar pra MIM, melhoro pra você. E assim, sucessivamente.

No nosso caso de amor, somos dois, ou somos mil? Em que dimensão você está agora? Em que rede está você, engaufinhado? Tô falando muita besteira?

Tô, né? Mas eu te juro,não pensava em mais nadica de nada se soubesse o caminho pr'alguma ilha bem distante, um canto que fosse, que tivesse água, e éter, dizem que é a substãncia mágica...,relaxar, ver você... estar nos teus braços e simplesmente te amar. Não precisei viajar até o centro da terra pra descobrir isso. Mas precisei viajar. E viajei até lá, e muitas vezes vou voltar, que é pra descobrir um jeito de te alcançar...


*

domingo, 16 de março de 2014

15:55

.



O amor está te seguindo?
Estarei eu à seguir o amor?
O amor está nos seguindo?
O AMOR ESTÁ!
Sempre está. Mesmo quando parece que não está.
O amor insiste. Ele está à nossa frente,
e sempre à frente de nós.
Amor é o nosso passo quando é dado
e está em cada passo recuado,
por proteção
por cuidado
o amor parece resguardado
mesmo quando se arrisca por todo lado...



Estaremos nós enredados por uma misteriosa
espiral amorosa de onde não se tem escape?
Quem haveria querer escapar ao amor?
Quem poderia escapar do amor?
Quem se arriscaria a perder o fio de contato com o amor?
Talvez você. Talvez eu.
Por algum motivo telúrico, passadas vidas, desencontradas,
Somos amantes de outras estradas.






*

segunda-feira, 10 de março de 2014

00:33

.


'O TODO está para a maior parte
assim como
a maior parte está para
a menor parte'


Existem subterrâneos inacreditáveis
e transponíveis bem diante dos nossos
belos olhos

Abre-te sésamo!
Perfuma-me gergelim



*

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

03:14

.


Um lugar que guarde a inspiração mais que perfeita
sobre tudo que se pode obter de um amor,

o erotismo de presenças ausentes,
mas tão presença que quase se poderia ouvir a voz dos poetas,
dos pensadores, dos que nos fizeram chegar até este momemto
das nossas parcas certezas,

e ali, sob as bençãos dos sábios do amor,
contaríamos uma cena da nossa história,
Platão, suspirando que só amamos oque não temos,

tendo a visão do nosso amor, confirmando ou desconfirmando esta certeza:

sendo ou não sendo meu, sendo ou não sendo sua,
SERÍAMOS, neste que seria um LUGAR PERFEITO PARA UMA NOITE DE AMOR.



*

domingo, 23 de fevereiro de 2014

23:14

.


"vida é fonte de alegria,
o nosso pecado original
é que temos tido muito pouca
ALEGRIA"




Vida longa à Alegria!!!






*

23:12

.


o segredo da maior fertilidade
e do maior gozo da existência é:
VIVAM PERIGOSAMENTE!

construam as suas cidades debaixo do Vesúvio!
enviem os seus navios aos mares desconhecidos!
vivam em guerra com seus iguais e com vocês mesmos!
sejam ladrões e conquistadores...!


_ assim falou Zaratustra



matáfora para ser VENTO



*

23:08

.


de corpo presente,
e até algum coração,

e aquela loucura bifurcativa
de querer insistir desejar contemplar

uma plenitude cósmica
que somente a tua presença
revela

enquanto a chuva cai
logo ali
e não coloca nenhum ponto
nos meus is...


*

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

11:11

.


Não te parece lógico
pensar que o amor possa ser tudo

e mais alguma coisa à mais?...




*

19:01

.


Ando sempre atrás da lógica. Sou excepcionalmente apaixonada pela lógica das coisas. E isso é muito incoerente, já que também ando e sempre atrás do mistério que se abriga sob todas as coisas, sem que a lógica seja possível na maioria das vezes. Mas vale a caminhada. Quando você decide ir pra alguma parte, você parte. Vai. Prossegue. Embarca, desembarca, tantas vezes quantas forem necessárias porque, você quer chegar. Quando finalmente chega, respira e pensa: _Bom , muito bom! Bucar a lógica de alguma coisa é tipo isso. Estabelecer um itinerário e sair. Pernas para que te quero. Leve-me. Só que a condução desta procura é a mente. E a ajuda vem da alma. Mente e coração. Porque a lógica só se faz coerente quando aloja-se tanto num, quanto em outro.

Tantas coisas. Tantas lógicas perdidas, achadas, corroídas, conservadas. Procura-se a lógica, desesperadamente!... Porque eu penso as coisas que eu penso? Porque encasquetei com o Teorema de Pitágoras? Porque não posso simplesmente aceitar que poderia ser só mais um enunciado matemático que diz que a soma do quadrado dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa?... Poderia ficar por aí, não poderia? Mas não. Eu queria a lógica disso. A lógica de um teorema que nasceu lá nos tempos das pirâmides, ou até antes, foi enunciado por Pitágoras, quando nascia a Filosofia, por volta de 500 a.C., e se mantém atual e aplicável até hoje nos mais variados segmentos.

E o mais difícil, é que é base de uma filosofia. Porque se você aplicar o desdobramente deste teorema irá perceber que ele abre formas, e dobrável, vai até um núcleo, que seria o início. Se você olhar um raio de sol no fim de uma tarde normal, o triângulo 3:4:5 de Pitágoras estará lá, e se você desenhá-lo num papel, poderá desdobrá-lo ad infintum se isso fosse possível fazer no papel. Como fórmula matemática, no entanto, isso é possível. E na vida real também.

Oque pensamos de desdobra desta forma. Pois é energia. E tem massa. Como a Noética, a ciência do pensamento já confirmou em estudos de Física Quântica. É tão absolutamente fascinante imaginar que existe o desdobramente real do que pensamos que quase não tem lógica imaginar. Mas nem por isso não existe. Existe e é um fato. Tão fato quanto a lógica de que, se você acorda cheio de boas vibrações num dia, quase sempre tudo se desdobrará, neste dia, em acontecimentos favoráveis. Da mesma forma, se você acorda meio de bad, uma corrente de coisas esquisitas tendem a acontecer.

Tá dando pra entender a lógica?
A pira que é ter o dom de pensar? E a pira maior que é, imaginar, que através de um pensamento devidamente controlado, você pode fazer alguma coisa que você quer muito acontecer?
Tá entendendo onde eu quero chegar?

_ eu só tô nessa pira toda porque eu quero ver você. Dá pra acreditar na lógica de uma coisa dessas? Não era muito mais simples e lógico eu pegar o telefone e teclar os teus números e dizer, _ você aceitaria o convite das minhas reticências?..., mas não!, eu tenho que embarcar em viagens porque minha mente tem pernas, ou asas, e eu, como você sabe, adoro voar. Atrás de alguma lógica, e de um dia, quem sabe, simplemente te encontrar. Bem ilógico isso!

(...)



*

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

20:37

.




EU SÓ SOSSEGO

PORQUÊ

' É PREGO '

MARTELAR






*

18:18

.


Tem uma lição que toda criança nasce sabendo decor: quem não chora não mama. Mas não é essa a principal lição. É que toda criança nasce sorriso e só quer saber de se divetir, descobrir o mundo, viver o hoje, sabendo que amanhã é uma coisa abstrata guardada para amanhã, independente de qualquer coisa. Criança é lição de esperança. Mesmo que o mundo não lhe seja bom. Olhe para uma criança um pouco mais demoradamente, e você vai comprovar que ela vai acabar rindo. É da sua natureza. Natureza roubada porque depois, há que se crescer, e manter o sorriso, dependerá de o quanto se tem que chorar, para poder mamar. Na vida adulta, choro corresponde justamente em ser adulto, em ter a inocência quebrada não se sabe nem pra quê, enquanto que mamar é o direito ao sorriso certo, é o conforto de não se sentir sozinho. Sorrir, é alguma diversão que resta. Alguma fé. Alguma ilusão. E sorte. E todo tesouro feito de coisinhas que se puder juntar. Em criança serão pedrinhas, cacos, brinquedos... enquanto que em adulto, a lista muda, mas ainda serão brinquedos disfarçados de 'coisas adultas'.

Eu sei disso porque já fui criança.
Eu sei disso, porque ainda sou, embora não tenha mais idade pra ser,
porque todo mundo cresce um pouco, mas não esquece de o quanto era bom, deitar e dormir, comer fruta no pé, ler e não conseguir entender tudo, se espantar com a alegria, se admirar com a coragem, brincar de esconder e desejar ser achada, jogar o lenço no menino bonito, correr, deitar na grama, contar figuras nas nuvens, e sonhar mil coisas para um futuro que nem parece que existe, porque o sorriso distrai tudo, e é por saudade à distração que eu insisto em sorrir ao invés de simplesmente, explodir.

Lições que se aprende em criança.



*

10:10

.


Acho que vou embora para Jijoca.
De Jericoacoara.
Quer vir também?






*

10:00

.


é como a chuva, não é?
ou como o canto de um pássaro,
ou como um raio de sol no fim de alguma tarde em que não houve um nós,
mas estávamos nós, cada qual em sua parte da tarde em que não houve
encontro, mas houve o estar, o existir, o pensar, o fazer parte sem fazer,

entendo.
é como a chuva, não é?
_ ela chove. e fim. e depois, volta a chover. e fim.

Amor chuva. A chuva sempre volta a dizer:
_ eu ainda te amo.


*

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

23:44

.


Só pra saber:

de vez enquando, uma vez que seja, só para variar,
será que por acaso

É PERMITIDO DESISTIR?


[cansada]



*

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

19:20

.

se não me envias flores
compro-as eu,
ou tanto melhor, colho-as em meu próprio jardim,

só não me prive do teu afeto,
tampouco me poupe da tua dor,

seja qual a forma do teu amor, devolvo-te sempre, em mais amor.


*

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

21:21

.

Farei escancarada
minha morada
para que terna seja a chegada
do teu inesperado gesto, da tua palavra
as parábolas inventadas pelo teu silêncio lento,
tendo o cuidado de vestir-me em
grinalda de pétalas desta chuva fina que não pára,
chuva para que não haja lágima, mas surpresa, cativa alquimia e ternura e saudade curada, minha janela, é a tua véspera madrugada.
Não tarda!


*

20:55

.


"Amar é brincar. Não leva a nada. Não é para levar a nada. Quem brinca já chegou.
Fazer amor é brincar com o corpo.
(...)
O sentidos precisam sair do túmulo onde os deveres os enterram.
Corpo brincando: é nele que acontece a alegria."


_ Por Rubem Alves




*

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

02:02

.

"o mundo é dos que sonham
e toda lenda é pura verdade..."




*

01:08

.



Adoro Schopenhauer. Adoro aquele seu mau-humor e sua incerta superioridade de se considerar detentor de tantas verdades. Gosto das suas regras. Da sua acidez. E de tudo que no fundo apenas fala de o quanto ele desejava ser amado. Era rígido mas queria ser admirado. Dizem que Goethe frequentava os saraus culturais que sua mãe promovia em casa. Já pensou em ter Goethe na sala da sua casa, para debater assuntos como a terra o céu e o ar? Adoro Goethe. Ele é maravilhoso. Digo assim, no presente porque certas almas são imortais. Ou todas seriam? Não sei, mas amo Goethe. Li certa vez uma biografia acerca dele, escrita por seu secretário particular, que o descrevia como um homem amante das cores, da estética, dos bons hábitos, não os meramente burgueses, mas os aristocráticos hábitos do bem viver, do bem pensar, do bem se ver, do bem se amar. Morreu um homem belo, mesmo no avançar da sua idade, músculos rijos, um rosto marcado por uma suave pátina, oscilações da sua cartela de cores primárias. Influenciou o pensamento de todos .( Mas de todos, e de longe, foi o mais feliz). De Freud, por exemplo. A quem amo também. Foi um bon-vivant acima de tudo. Dizem que fazia uso de alguns "aditivos" para pensar. Pensou e associou de tudo. Por exemplo, côcô, para ele, simboliza dinheiro. Já pensou? tudo a ver! tudo a ver! Debato-me com um dos seus últimos ensaios "O Mal Estar na Civilização". Se eu compreendi direito, para ele, uma vida feliz, para um individuo, consistiria em ter um amor, e um bom trabalho. Conclusão bem careta para alguém como Freud, que teve uma vida pra lá de animada. Dizem que Lou Andreas-Salomé quase morreu de tanto amor por ele. Enquanto Nietzsche morria de amor por ela. E Rilke à espreita. E a fila andava... Não é assim que se diz? A fila anda!, mas Freud parece não ter tido muito problema com isso já que o destruidor de corações era ele. Um viciado pela novidade das paixões. O que nos traz novamente à Schopenhauer que se perguntava:_ só o breve, só a novidade interessa? Responde Freud!, há que se envelhecer para não enlouquecer? Virar uma criatura adequada e trabalhar direitinho, e amar alguém bonitinho para se obter o vislumbre desta tal felicidade? Desconfio que nem ele sabe. É muito interessante fuçar a vida destes grandes homens e mulheres do passado. Descobre-se que amaram. E muito. E passaram por todas as tormentas existenciais, e sofreram as agruras de seus amores, e viram suas paixões se esgotarem, para, no final,e agora faço uso de uma expressão contemporânea, dita por outro ser amável, Oscar Niemeyer, concluirem, mui provalmente que:
_ nasceu, morreu, fudeu! (E a vida no meio disso!)

Sim!, foi Niemeyer quem disse essa pérola. E também disse "a vida é um sopro". A vida é um sopro. Um sopro gostoso pra uns. Um sopro longo para outros. Um sopro. Feito um gozo. Um choro. Um abraço. Um beijo. Ou feito o breve péríodo de uma paixão. Um sopro que nos escapa...


*