segunda-feira, 11 de maio de 2009

00:42

Tem certas horas, que nada parece mais aconchegante do que uma janela, uma lua, e alguém para pensar. Só para pensar. Aliás, tem certas horas, que nada é mais aconchegante do que o próprio pensamento. Nenhuma palavra vinda de parte nenhuma. Só a lua, a janela e o pensamento. Bem quietinho. Só cantando baixinho, algo que ninguém mais sabe cantar.
*


Nenhum comentário: