sexta-feira, 15 de maio de 2009

13:45

É tão delicado, tão frágil, quase não se pode tocar. Qualquer proximidade excessiva, e perde-se tudo. Ou quase tudo. Meu coração estava apertado, e ficou mais. Um pouco mais. Um pouco por você, um pouco por não poder, um pouco pelas coisas todas, e um pouco por causa da música que não cansa de me fazer doer. É so para olhar, e eu preciso aceitar. É só para olhar. É só para olhar.

Nenhum comentário: