domingo, 27 de setembro de 2009

18:20

.

Mas em que será que ele haveria de querer que ela se transformasse, para que ela fosse então, amada por ele ? Ela matutava sobre aquilo dia e noite. Certamente em uma mulher mais ousada, mais linda, mais solta, mais alta, mais magra, mais livre, mais tudo.

Pensar nisso, até que era, de alguma forma, confortável para ela, porque aprendera da vida que somos INFINITAMENTE o que somos, sempre, não há solução. O ato de pensar nisso era apenas uma forma de se recriar na mente, e recriada, voltar a ter com ele, nessa forma perfeita, que ele haveria de preferir, como Essa, que ele haveria de amar...

*

Nenhum comentário: