sexta-feira, 23 de outubro de 2009

17:12

.

Em certas ocasiões
aprecio muito o cheiro de cigarro.
Sua estética de prazer enganoso,
seu fogo que se esvai em minutos,
a poesia insólita que posso ver na
fumaça que desenha seu nome no ar...


[Consegui escrever seu nome no ar
com a fumaça daquele cigarro que
nunca fumaremos juntos.]


*

Nenhum comentário: