sábado, 9 de janeiro de 2010

02:26

.

Volta e meia
estou mexendo nas minhas quinquilharias.
As banais, e as preferidas.

Há uma caixa pequena,
que dói quando abro:

nela estão palavras,
pareciam brilhantes verdadeiros,
mas descobri, eram bijouterias.
Mesmo assim eu guardo, olho, gosto...
o brilho não deixa de existir
para meus olhos ingênuos.

[gostava tanto de você]

*

Um comentário:

Lucas disse...

a gente aprende... não a se desfazer... mas a ver que foi desfeito... e que só pode ser bom e refeito se for de livre vontade... sem que a nossa decisão seja a decisão do outro... senão, é melhor fazer algo melhor...