sábado, 13 de agosto de 2011

00:00

.

E já se faz tarde.
Não muito... mas o bastante para me fazer duvidar que você virá.
Onde você está? Onde?
Eu olho pela fresta e avisto um ponto no horizonte.
Respiro esse ponto, quase desmaio dentro dessa vertiginosa
expectativa...
Jogo a tristeza por terra e por um segundo volto a respirar-te
eu, já, aqui...

*

Um comentário:

ticoético disse...

Queria eu que,às vezes,somente às vezes,o relógio viesse com sinal de satélite mostrando onde estará...enfim,bela.

abraço !