segunda-feira, 21 de maio de 2012

18:09

.


A gente gostava das palavras quando elas perturbavam
o sentido normal das ideias.
(...)
Nossas palavras se ajuntavam uma na outra por amor
e não por sintaxe.
A gente queria o arpejo. O canto. O gorjeio das palavras.


_ Monoel de Barros



*

Nenhum comentário: