quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

18:00


Quando chove um mundo você precisa parar. Você pára sem sequer imaginar que numa parada, o mundo pode parar. O  barulhinho da chuva no telhado, distraídas gotas de céu lavado e perfumado, e um lugar quentinho que parece coração de anjo. O frio ficou pro lado de fora. Uma mesa. Um pedido. Café com sonho. Surpresa. É sonho?   O desconcerto de um encontro. Coincidência?... O  inevitável instante de um olhar, reconhecer-se em outra pessoa, mão de  surpresa do destino na teimosia de encontrar, meus olhos cor de café, bem forte, com o doce dos teus,  dois sorrisos e a chuva não precisa mais parar. Chuva traz sorte, guarda segredo e  vende bem  felicidade. Felicidade e cafés. Perdi a conta de quantos. Acho que não durmo nunca mais.

_ Por que, o café estava forte demais?
_ Não! foi a felicidade mesmo!



*

Nenhum comentário: