sexta-feira, 3 de maio de 2013

14:00

.

_ Quem é você, moça?

_ Eu sou uma sucessão de outonos que não se cansam de passar. Minha luz é outonal. Não sou dada aos verões tropicais, embora seja do mar acima de todas as outras coisas. Meu elemento é o mar, minha onda é do mar, meu colo, minha melhor estada, sou feita de partículas oceânicas,sou parecida com a  areia que é chão para o mar. Eu sou a que vê estrelas no mar. Mergulhar é meu verbo, contradição absoluta para quem vive no raso. Não mergulho para outro lugar que não seja pra dentro, e é nos meus para dentro que sou oque eu quiser. Sou a obsessão de um extra-terrestre, a inspiração de um poeta, o feijão com arroz de um anjo terrestre, sou a insastifação e sou o amanhã de alguém. Não tenho medo da tristeza, tenho coragem e peito aberto para as armadilhas do medo, mas temo toda forma de alegria. Alegria me dá medo, arrepia meus pelos, não choro por tristezas, choro quando reconheço a alegria. Serei a única pessoa chorando no meio dos risos. É que eu acho lindo as pessoas e seus sorrisos. Suas conversas. Seus gestos falantes. Suas extravagâncias, seus exageros, e aquele som parecido ao das arataquinhas matraquiando alegrias. Meus olhos são cor de amêndoas, e assim são meus filtros: meio semente, meio doces, meio ingênuos, meio grão. Nada passará feito nada pelas minhas amêndoas oculares. Nem pelos meus sentidos extra-curriculares.
 Se eu aceito uma onda etílica pra exercitar meus sentidos?
_ Só se for com você!


*

4 comentários:

Lianto disse...

veeeeeeeem

Karla Marinho disse...

Lindo texto! Rs

:*

thiê disse...

tem algo pra você lá no meu canto...

Karine disse...

Ui.