segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

20:00

.




Não existe teoria para o amor. Nem generalizações. O que se aplica à mim, poderá no máximo, se aplicar aos meus seres amados, e olhe lá!... Então, esta e´a minha teoria do amor, que se aplica à mim, em teoria, e olhe lá..

Amor é algo bom. Mas nem sempre é só bom. Tem vezes que é dor. Porque trata-se de um ser rebelde o tal amor, Ele quer realizar tudo pra ontem, tipo paixão, que na verdade, é no que acredito no que diz respeito à um homem e uma mulher. Tudo começa na paixão. Daí, amor acaba sendo mais fraterno, coisa de casamento, noivados, flores de laranjeiras, uma casa, o café da manhã, o beijo de Boa-Noite, e uma cama que é sempre grande demais... Antes, porém, vem a paixão. E antes dela, a atração. Que vem a ser química e a física, a mais requintada das quânticas, noética, invasão de fatores desconhecidos, mas tão conhecidos ao mesmo tempo, a energia do outro bate com a sua e aquilo é, de longe, a coisa mais fantástica do mundo todo.

Então você se apaixona. E não necessariamente ama. Mas porta uma loucura. Algo que invade mais que a mente, mais que alma, invade o Eu que nem você sabe quem é. Paixão justifica o ato de fechar os olhos pra imaginar. Você fecha seus olhos para quê? Para imaginar. E quem ocupa seus pensamentos? Aquele alguém por quem sua pele chama. E então você pensa. E tem ideias... e muitas vezes faz umas merdas enormes por causa disso, não raro, a merda maior, é não fazer nada. Você vive uma paixão, mas tem um tal amor anterior, o amor próprio, que muitas das vezes supera a paixão por alguém...

O que me faz pensar que amor é DOIS. Tem um Eu afim de se apaixonar. E correr os riscos. E mergulhar. E sentir medo. Porque, paixão da boa desperta de tudo, e quanto mais complicada, perdoe-me o exagero, melhor e maior e mais desejada. O amor é DOIS. E tem VOCÊ afim de se apaixonar. E se colocar na lona, e sair pra briga, e usar o verbo, soltar todo o verbo, e destes dois nasce o desejo de seduzir, que vem a ser a vontade gigante de EU + VOCÊ formarmos um NÓS, mesmo sem saber se o amor virá..., será que vira amor?... não se sabe!, este NÓS, ganhará uma casinha de sapé defronte ao mar, com velas de baunilha perfumando lençóis macios e suaves? não se sabe!, tem muita chance que não, não há garantias na paixão, só no amor ( ou será que nem nele?)...mas tanto num, quanto noutro,a sedução é tudo, porque seduzir traz implícito o desejo, o querer, o resgaste, o sonho, a esperança de ter aquele alguém do seu lado, e sem isso, sem essa chama que chama, não há paixão, e as as chances do amor, viram águas de outra estação. *

Nenhum comentário: