sábado, 7 de dezembro de 2013

20:42

.

Privados sempre estaremos do alívio,
intrigados seguiremos, porque, de tudo que se fala do Amor

não há como ignorar sua face sombria, absoluta,

de ser, SEMPRE, a raiz de cada pergunta
e o âmago de todas as respostas.
*

Nenhum comentário: