segunda-feira, 25 de março de 2013

00:28

.



E pra não dizer que não falei de abraços,
pra você, um abraçaço!






00:14


.

Uma pessoa alegre da televisão falou nessa semana uma coisa em seu programa semanal que me deixou um pouco mais triste do que o habitual. O assunto do debate versava sobre as redes sociais e o quanto as pessoas declaram-se felizes e belas e perfeitas dentro dos seus perfis, ao que a apresentadora falou mais ou menos assim:

_ "Mas, claro!... se alguém vai à sua casa, você vai mostrar o que? O banheiro quebrado? Oque está sujo e elameado?"

Na qualidade de um ser mais para o triste, respondo:

_ Hey! Tristeza não é sujeira. Aqui, por exemplo, tem um monte de tristeza, mas a casa é bem limpinha, falou?


*

12:50

.

Eu acho graça quando as pessoas falam de grandezas,
importâncias, conquistas, enormidades, adultices realizadoras...

eu confesso que cresci,
_ mas foi só por fora mesmo,
continuo pequeníssima por dentro, e quanto aos adultos,
continuam sendo entes muito estranhos pra mim!




*

segunda-feira, 18 de março de 2013

20:00

.

OQUE NOS UNE
É UMA PONTE DE BANDEIROLAS PENDENTES,

oque a gente mais faz é dar bandeira
pra ver se abre o portal do amar


*

19:30

.

Aqueles olhos perdidos
em vésperas,
cismados em azul , silêncios e mar,
perderam a força do pensamento,

agora só fazem em exagero,
SONHAR...

São teus olhos, duas pedras (preciosas) de amar.


*

sexta-feira, 15 de março de 2013

21:00

.

Que poder é esse que a gente concede ao outro, assim, como se fosse normal? Qual é o preço que vale a gente abrir mão de  ser oque a gente é pra ser oque esperam que a gente seja?..,que compra ou rouba a liberdade de ser assim, de boa, com a cara lavada, à tapa e dane-se quem não gostar... que conveniência é essa que nos faz refèns de mãos que desejam algo de você, geralmente manipulação e vantagens. Quem são os espertos?... os que exploram, os que permitem, os que seguem a regra do jogo visando um prêmio vulgar que nem existe, os que pagam, os que cobram, os que mentem, os que pecam, os que abusam, manipulam... É!!! somos vencedores ou perdedores? Todos perderam o sossego dos seus lares, único refúgio que havia, pra continuar no leilão dos afetos, do sucesso, do dinheiro, dos amores fáceis, das hipocrisias, das banalidades, das ilusões e de um céu que não é azul celeste, é 'azul cor de plástico', e as estrelas nem são de cristal.

Bateu-me um instante de lucidez, sei lá,
só sei que neste exato momento eu me vejo, é um lapso,
já já vai passar, eu sei, sou fraca, corruptivel, manipulável, vendida,
carente e orgulhosa demais pra abrir mão de estar nesta ciranda pouco infantil,

mas pelo menos por hoje, sou eu quem digo:
_ Foda-se! EU FAÇO A CENA QUE EU QUISER!!!


*