sexta-feira, 25 de outubro de 2013

12:08

.


Atravessamos tempestades acreditando,
molhados em amor e ódio, que é sempre amor em outra forma,
ouvindo canções pra aguentar e esperar um tal
'futuro composto de passados',

porque antagonizamo-nos, fomos ao extremo dos nossos opostos
que no nosso caso, sempre se atraem, e se atraem,

como se inevitável fosse voltar, olhar e se render ao que parece
ser

oque realmente nos falta!


*

sábado, 19 de outubro de 2013

22:08

.




Houve lua



*

22:08

.




liberate my madness
22:08

20:38

.


19.10.13
sábado
20:38

never, never





*

19:44

.


Isto é amor, não é?
Quando você percebe a ausência de alguém
e odeia essa ausência
mais do que qualquer coisa,
mais até,
do que ama a sua presença.


[página 168, TUDO SE ILUMINA]




*

19:42

.


Sinto fome de palavras.
Sinto tanta fome de palavras, tuas.
Falta de sussurros. De garantias.
De garantias sussurradas aos pés dos meus ouvidos
que são teus,

sinto falta de você, dançando sozinho,
perdido no caminho, enquanto eu me consumo
em fome e desejo de você.


*

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

22:22

22:18

.

Tudo no raio da vida
tem
pelo menos uma
exceção!


*

18:28

.

Coisas que você precisa saber sobre o Amor antes de amar:


Você no caso sou eu, e para começo de conversa saiba que não-verdades serão ditas, elas são ditas não por mal, antes, muito antes, são ditas para que possam virar verdades. O amor é uma janela virada para o lado de dentro. Ela tem que ser aberta por alguém. Alguém tem que estar à espreita daquela janela que por qualquer motivo, por certo muito bobo, mas particularmente relevante, atrai. Porquês geralmente não vêm ao caso, embora todos amem os porquês, porque eles nos fazem sentir alguém capaz de ser amado por outro alguém. Frente à isso não seria exagero considerar que amor é INVASÃO. Por algum motivo a sua janela passa a ser interessante. E quem está lá, do lado de dentro, no caso você, no caso eu, de repente percebe a espreita. E excita-se com isso. Um rondador. Um ser rondante. Ser rondada. É fabuloso. Chama-se paixão à esta chama invasora. E tudo gira em torno dela. Começos, meios, intermeios, interlúdios, internautas, interesses, interiores, intenções, infinitudes, ilusões. Há alguém lá fora que nota que há algupem lá dentro. E quem está fora quer entrar, e quem está dentro, anseia a invasão, mas anseia a não-invasão porque não quer que aquilo acabe. Aquilo que lhe parece ser amor, mas que pode não ser, e não-ser é muito pior do que a agonia de não saber se é ou não é. Então há a insistência que deve ser incansável. Só haverá este amor enquanto houver eu dentro, e você fora, ou o contrário, que é fato, porque somos duas janelas para o lado de dentro com medo de qualquer coisa que nos faça sumir o interessante que é ser uma janela interessante para alguém. Um dia, abre-se uma fresta. Não há como saber quem abriu, nem quem foi aberto. É estreito, muito estreito, mas dá para sentir um qualquer coisa inicial que parece amor. É a linha que todo mundo ultrapassa rapidamente. Arrombam-se janelas todas as noites e dias e tardes, para descobrir que não, aquela não era uma boa janela para ser invadida. Esta é uma coisa importante para se saber sobre o amor: A HORA. Se prorrogada, há uma chance. Por isso, muitos prorrogam. Alongam, atiçam, e esperam porque descobrem que é bom amar mesmo sem saber se é amor, e esta é outra coisa que é fato: sempre haverá a dúvida. E por haver, e por amor, adia-se. Muito fala-se sobre a coragem de invadir. Quase ninguém fala da coragem que existe em recuar. Não faz sentido, eu sei que não faz, mas você notou como a minha janela é estranha? Alguma coisa não combina. Difere. Não convida, embora eu te convide, eu te chame, eu queira saber. Sem querer saber. E se não? E se não? E se não? Vou perder você? Vou me perder? Perderei o êxtase de te saber ali, bem do outro lado, talvez por mim, talvez não, talvez sejam tantas outras janelas, como existem janelas nesta rua!, nesta vida!, não quero nem pensar... pensarei que sou a única janela desta rua, assim como você é pra mim. Uma coisa que você precisa saber sobre o amor: ele existe assim como existem as janelas, e como as janelas, tudo que ele quer é ser aberto, liberto, ele quer o alvo certo de alguém. Você é o meu ALGUÉM.


*

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

19:28

.


DAS COISAS FÁCEIS:

_ não existe nada mais fácil na minha vida
do que meus pensamentos voarem pra você!


*

domingo, 13 de outubro de 2013

19:28

.

Você precisa tirar um tempo
para BRINCAR sozinho,

só não se perca no caminho!


*

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

13:26

.


_ O que a gente vai ser
quando parar de crescer?


*

domingo, 6 de outubro de 2013

15:45

08:02

.

Parecia letra de música
e a música que ele cantou me levou de frente à um mar de amor,
cabia tudo dentro de uma lâmpada de abajour azul, mas eu poderia
jurar que havia um mar ali:

When you think about me, remember:
_ you're not alone!


Joguei flores pro mar, uma oferenda pra garantir
que sendo verdade, eu não venha a me afogar de tanto amor...

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

18:22

.

O beijo é a língua do amor.

[vamos conversar?]


*

18:02

.


Alguns OUTUBROS depois ainda não sabiam que no mapa do amor pouco importa a direção. Faltava-lhes a coragem amorosa
sem a qual fica impossível entender a diferença
entre oque é tudo
do que é nada...

serem a mesma coisa
em qualquer lugar
desde que o amor
aja!


*